O Fiat 124 Spider fez 50 anos

11 novembro 2016

O Fiat 124 Sport Spider é o icónico descapotável da Fiat que este mês completou 50 anos. Desde que foi apresentado ao mundo no Salão de Turim, a 3 de novembro de 1966, continua a despertar paixões pela sua elegância e caráter desportivo, mesmo do outro lado do Atlântico onde também há meio século era o sonho da Califórnia. De tal forma que em 2015 voltou a apresentar-se, exatamente em Los Angeles, com uma carroçaria evoluída e fascinante, num estilo que conserva a beleza do antecessor.

Com o 124 Spider de 1966, a Fiat dirigia-se ao automobilista que procurava prestações brilhantes a um preço acessível; um automóvel desportivo e de ampla difusão, não um simples carro mas um autêntico "acontecimento moderno", como era definido pela imprensa da época.

E este novo desportivo encaixava bem no conceito: era moderno, entusiasmante, persuasivo, tinha um preço interessante e apresentava soluções técnicas inovadoras, nomeadamente ao nível da mecânica. O 124 Sport Spider era claramente uma evolução do 124 berlina, mas era também um genuíno automóvel desportivo que rapidamente despertou inúmeras paixões. Para este modelo, a Fiat escolheu o design de Pininfarina, seu parceiro histórico e nome importante e respeitado em todo o setor automóvel internacional.

O modelo propunha boa parte da mecânica do Fiat 124 berlina, mas desde logo com precisas caraterísticas desportivas. A assinatura Pininfarina assegurava a elegância do design e dos interiores do 124 Spider que, no conjunto, se distinguia também pela qualidade geral dos acabamentos, dos acessórios e das cores. Em suma, traduzia o estilo e as proporções mais atraentes do seu tempo: belo entre as belas, já que, naquele dia 3 de novembro de 1966, apresentava-se no stand da Fiat rodeado pela Miss Itália, pela Miss Sorriso e pela atriz Marisa Solinas.

A elegância das linhas, as prestações do motor, a estabilidade e a segurança do modelo asseguraram-lhe, desde os primeiros meses, sucesso comercial de segmento e de imagem. O 124 Sport Spider custava 1.550.000 liras, cerca de mais meio milhão do que a berlina. Por um custo extra de 65.000 liras, era possível dispor de jantes de liga "Cromodora" e de teto rígido. Até 1969 foram produzidas cerca de 25.000 unidades da primeira série.

Entretanto, a Fiat decidiu trabalhar na evolução do modelo que, em 1968, desembarcou nos Estados Unidos com os americanos a ficarem fascinados pelo estilo marcadamente italiano do Spider. Em outubro do ano seguinte, sempre no Salão do Automóvel de Turim, estreou, no âmbito de uma renovação global da gama, a verdadeira segunda versão deste roadster que evoluía permanecendo fiel a si mesmo, com a sua linha elegante assinada pela Pininfarina, continuando a somar êxitos: entre 1969 e 1972, foram produzidas cerca de 27.000 unidades do modelo.

Em 1972, a Fiat apresentou uma nova geração do Spider: a linha permanecia inalterada, mas foram feitas pequenas modificações no tabliet, como a moldura dos instrumentos preta em vez de cromada e a introdução do relógio. As novidades mais substanciais encontravam-se no motor com o Fiat 124 Sport Spider a adotar os motores do Fiat 132, tanto na versão 1600 como no inédito 1800.

A produção do 124 Spider continuou depois, desde Junho de 1974 até 1982, para exportação para os Estados Unidos, país em que o modelo continuava a alcançar grande êxito.

A linha manteve-se, tendo sido unicamente introduzidos pára-choques de absorção de energia e em Julho de 1978, o motor de dois litros de 87 cv. Em 1981, a Pininfarina expôs no Salão de Genebra um novo modelo denominado "Spider Europa", de estética substancialmente inalterada, mas prestando grande atenção à segurança e ao conforto.

Uma última evolução surgiu em 1983 com a versão "Volumex" de 136 cv, pensada acima de tudo para o mercado americano e deu continuidade a uma história de sucesso feita de mais de 200.000 unidades vendidas em todo o mundo, 75% das quais nos EUA.

Os Estados Unidos estão, desde sempre, no destino do Fiat 124 Sport Spider e não foi por acaso que o novo Fiat 124 Spider foi apresentado, no ano passado, no Salão do Automóvel de Los Angeles. Colocando-se na esteira da tradição do seu lendário antecessor, está a fascinar uma nova geração pelo estilo e pelas prestações tipicamente italianas. O 124 Spider continua a proporcionar uma experiência de roadster rica em emoções, tecnologia e segurança sempre aliada a um estilo genuínamente italiano.

Cinquenta anos depois, este desportivo da Fiat continua a ser o foco das atenções sempre que aparece. Voltou a ser assim no recente Salão do Automóvel de Paris, no stand da marca, em que esteve exposta a nova série especial de tiragem limitada 124 Spider America, disponível em Itália em apenas 124 unidades numeradas, que através de um equipamento especial celebra a homónima versão que, na década de oitente, comemorou os cinquenta anos da Pininfarina. Aliás, a série especial reproduz a pintura da carroçaria em bronze magnético que caraterizava aquele modelo. Os suportes dos retrovisores são prateados e os interiores em pele cor de tabaco.

O 124 Spider America apresenta uma placa comemorativa numerada no interior (124 para o mercado italiano, disponíveis a partir do fim deste ano), e logotipo na grelha dianteira. Esta versão estreou a caixa automática sequencial de seis velocidades, disponível para encomenda no primeiro trimestre de 2017.

De 1966 a 2016 são cinquenta anos de história de um modelo mítico que continua a fazer sonhar, de seu nome Fiat 124 Spider.

scroll up