O vira do Minho foi marcante. Ott Tanak é o novo líder

19 maio 2017

Se as primeiras passagens por Viana do Castelo, Caminha e Ponte de Lima motivaram alternâncias no poder, de tarde o ritmo estonteante da prova colocou o estónio Ott Tanak em Ford Fiesta no comando, depois de Latvala ter capotado o Toyota quando procurava recuperar a liderança. Antes já Kris Meeke tinha colocado o Citroen C3 no comando após Viana do Castelo 2, mas irremediáveis problemas de suspensão retiraram o vencedor da edição passada do lote dos favoritos. Mas se Viana do Castelo e Caminha foram algo previsíveis e contaram com vitórias dos Hyundai de Paddon e Neuville, já a segunda passagem por Ponte de Lima viria a ser marcante, com outro Hyundai a vencer o troço, desta vez o de Dani Sordo. Neste troço demolidor, Latvala capotou, Kris Meeke deu um toque e danificou a suspensão, Paddon ficou parado na especial e até o Toyota de Lappi perdeu potência devido a problemas no intercooler. Com tudo isto Tanak fica mais líder, enquanto Sordo e Ogier sobem na classificação geral passando a entrar no pódio do rali no final do dia.

Depois do desgaste veio a festa da Braga Street Stage, uma especial espetáculo no coração da cidade onde se ganham ou perdem poucos segundos, mas onde se sente uma forte envolvência do público. O campeão Ogier foi o mais rápido na primeira passagem, enquanto Ostberg levou outro Ford à vitória na segunda passagem. Depois das emoções de Braga, Tanak senta-se no trono com uma vantagem de 4,6 segundos para Sordo e 5,0 segundos em relação a Ogier. Mas nem só no pódio residem os candidatos à vitória, uma vez que na corrida estão também o Citroen de Craig Breene no 4º lugar a 12,9 segundos, o Ford de Elfyn Evans a 18,3 segundos, e até o Hyundai de Thierry Neuville que está a 22,7 segundos do líder Ott Tanak. O Toyota de Hanninen está no 7º lugar, mas já a 52,0 segundos e o de Lappi na 8ª posição a 1m12,3. O espetacular Andreas Mikkelsen em Skoda Fabia R5 comanda destacado o WRC2 e é agora o 9º classificado, enquanto Mads Ostberg em Ford Fiesta, encerra o Top 10 do Vodafone Rally de Portugal, que já contou com Neuville, Ostberg, Paddon, Latvala, Meeke e agora Tanak como líderes da prova.

Entre os concorrentes portugueses, de registar esta tarde o abandono de Miguel Barbosa, após ter gripado um rolamento de uma roda do seu Skoda Fabia R5, para além do azar do campeão nacional José pedro Fontes registado no primeiro troço da manhã. Miguel Campos é o melhor piloto luso em prova no 22º lugar, seguido por Pedro Meireles (26º) e por Joaquim Alves (32º). Para sábado estão agendados mais seis troços cronometrados, com duas passagens por Vieira do Minho, Cabeceiras de Basto e a sempre marcante especial de Amarante, o maior troço do rali com 37,55 km de extensão.

scroll up