Hamilton vence GP da China

09 abril 2017

Com pista húmida, mas a secar, Hamilton liderou a prova desde a pole position, com todos os pilotos a optarem pelos pneus macios, exceção feita a Carlos Sainz, da Toro Rosso. Uma escolha que saiu cara ao espanhol, que fez incursão por fora da pista na Curva 1 e chegou mesmo a roçar o muro quando voltou para a pista.

O Safety Car Virtual foi depois ativado na 2ª volta na sequência do contacto entre Lance Stroll (Williams) e Sergio Perez (Force India) e que deixou o primeiro preso na gravilha.

Duas voltas mais tarde foi a vez do verdadeiro Safety Car entrar em pista depois de Antonio Giovinazzi sofrer o segundo acidente forte em igual número de dias. Desta feita o italiano pareceu não ter qualquer culpa, com o carro a entrar em aquaplaning e a bater no muro do pit lane, na reta da meta.

Quando os detritos acabaram de ser retirados da pista e o Safety Car voltou às boxes todo o pelotão já tinha trocado para pneus slicks e na 8ª volta a luta reacendia-se, com Hamilton à frente de Ricciardo, Raikkonen, Verstappen – que era já quarto depois de ter partido de 16º – Vettel e Alonso.

Com o desenrolar da corrida, tanto Verstappen como Vettel fizeram ultrapassagens cruciais sobre os respetivos colegas de equipa, com Vettel depois a tocar roda com roda no antigo companheiro de equipa Ricciardo no que acabou por ser mais uma fantástica manobra de ultrapassagem sobre o piloto da Red Bull.

Com Hamilton tranquilo na frente, Vettel passou depois a atacar Verstappen, que cometeu um erro à 29ª volta e alargou a trajetória na Curva 14, o que permitiu a subida do homem da Ferrari ao segundo lugar.

Por essa altura Hamilton já tinha uma margem que Vettel não conseguia anular e o tri-Campeão do Mundo acabou por ver a bandeira de xadrez com 6,2 segundos de margem depois de ter liderado todas as 56 voltas. Verstappen acabou por ser um distante terceiro classificado, isto depois de ter tido de se defender da pressão imposta pelo colega de equipa Ricciardo nos momentos finais da prova.

Kimi Raikkonen foi quinto com o Ferrari, à frente de Valtteri Bottas (Mercedes) e de Carlos Sainz (Toro Rosso). Kevin Magnussen (Haas) e a dupla da Force India, Sergio Perez e Esteban Ocon, completaram o Top 10.

scroll up