Sébastien Ogier assumiu o comando na Sardenha

08 junho 2018

Ogier estudou as quatro especiais do dia na Sardenha e resolveu atacar na segunda ronda pelos troços italianos. Foi precisamente em Tula, o troço mais longo do dia, que o campeão resolveu mostrar que está na Sardenha para vencer. O piloto do Ford Fiesta chamou a si a responsabilidade de comandar o rali, não só depois do ataque que fez num troço bem estudado, onde saltou do 5º lugar para a liderança da prova, mas também devido ao abandono de Mikkelsen, com problemas na caixa de velocidades do Hyundai i20. Quem tentou resistir aos ataques do francês foi Thierry Neuville, que apesar do esforço termina o dia na 2ª posição a 18,9 segundos de Ogier, estando, no entanto, na luta pela vitória na prova. O 3º lugar da geral é agora ocupado pelo Toyota Yaris de Jari-Matti Latvala a 37,2 segundos do líder.

Para além do azar de Andreas Mikkelsen, a última especial do dia também deixou dois concorrentes de peso pelo caminho. Ott Tanak ficou parado no troço, depois de uma “aterragem” mais violenta do Toyota após um salto, enquanto o Ford de Teemu Suninen sofreu um despiste. Tanak e Suninen eram 3º e 4º classificados respetivamente, antes dos acidentes, e estavam na luta pela liderança da prova, especialmente o piloto do Yaris. A Toyota passou a reagir com Latvala a 37,2 segundos e Lappi a 41,6 segundos, agora 3º e 4º classificados, ainda com direito a resposta à liderança de Ogier. Em relação à Citroen, o melhor é Mads Ostberg que coloca o C3 WRC no 5º lugar a 58,3 segundos do líder, seguido pelo Hyundai de Paddon a 1m01,5 e pelo outro Citroen de Breen a 1m26,0. Mais uma tática de Ogier bem sucedida, num rali que ainda vai ter muitos episódios para contar, com Neuville, o líder do WRC 2018, a prometer luta cerrada ao campeão, sem descorar as possíveis reações dos Toyota de Latvala e Lappi. No WRC2 o comando pertence ao Citroen C3 R5 de Lefebvre, que conta com 14,0 segundos de vantagem frente ao Skoda Fabia R5 de Kopecky.

scroll up