O novo Classe A da Mercedes-Benz lança novos desafios

11 julho 2018

Para a Mercedes-Benz esta poderá  ser mais uma fórmula de sucesso, dentro de um segmento onde a marca da estrela já conseguiu um assinalável resultado com a geração anterior de um compacto que seduz um vasto naipe de clientes. O desejo de ter um Mercedes ficou mais perto do comum dos mortais, quando a marca optou por montar motores diesel de baixa cilindrada no Classe A, um automóvel que agora atinge uma fase adulta, com muitas propostas e os olhos postos no futuro.

A mobilidade intuitiva faz parte da nova era, e é uma forte aposta da Mercedes-Benz, que introduz na nova geração do Classe A uma inteligência artificial que nos compreende, que até é divertida e de fácil adaptação. Os primeiros dados para uma nova relação com o seu carro estão lançados, precisamente num segmento de entrada que produz um leque de emoções mais diversificado. Este automóvel intuitivo e até algo feiticeiro, concede alguns dos desejos aos seus ocupantes, através de uma simples conversa. “Olá Mercedes” - é apenas o início de uma conversa entre si e o seu Classe A, podendo contar sempre com respostas úteis por parte da inteligência artificial do seu carro. Escolher estações de rádio, ligar e ajustar a climatização, ajustar a iluminação interior, ou escolher os seus destinos. E isto são apenas alguns exemplos, porque a “Mercedes” tem muito mais para oferecer.

A última geração do Classe A chegou primeiro ao nosso mercado com duas motorizações, embora estejam previstas outras propostas para breve. Para já, um diesel 180d com 116 cv e um novo e enérgico bloco a gasolina com 163 cv, ambos equipados com caixa de velocidades automática de 7 relações. Duas sugestões extremamente agradáveis, com destaque para as capacidades do propulsor a gasolina, mas com o diesel a não ficar atrás, especialmente nos consumos e na excelente relação que mantem com a caixa de velocidades de dupla embraiagem 7G-DCT. Neste caso, a Mercedes-Benz propõe preços de arranque iguais para o diesel e para o gasolina, a partir dos 32.450€. Neste momento existem já outras propostas, como o mais potente bloco a gasolina, o A 250 com 224 cv, mas também uma caixa manual de seis velocidades que faz baixar o preço do Classe A para os 31.000€.

Mais espaço interior, três linhas de design exterior, uma linha de cintura aumentada e maior superfície vidrada, uma enorme alteração e evolução do design interior, com um painel de bordo bipartido e um novo volante inspirado no Classe S, são apenas algumas das mudanças do Mercedes-Benz Classe A que conta com níveis de equipamento Style, Progressive e AMG, duas suspensões opcionais e muito equipamento de segurança e assistência à condução, só possíveis de encontrar em automóveis de segmentos superiores. Para um primeiro contacto com a nova geração do Classe A com a duas propostas de motorização já disponíveis, fica a certeza de que a Mercedes-Benz voltou a apostar forte num segmento que lhe dá imensa visibilidade, desvendando um espantoso motor a gasolina de 1,4 litros, esperando-se a breve trecho por novas motorizações diesel e outras divagações a gasolina mais potentes, como por exemplo o A 35 AMG, esperado para os últimos dias deste ano.

scroll up