Um novo Captur para segurar a chave do sucesso

24 maio 2017

Repensar os detalhes, melhorar a qualidade e refinar o design são os componentes essenciais da receita que faz surgir o processo “Captur Fase 2”, talvez na altura ideal para a marca francesa marcar ainda mais pontos num novo segmento que teima em crescer cada vez mais. Desde que foi lançada a primeira geração, este verdadeiro sucesso comercial da Renault já vendeu mais de 215 mil exemplares na Europa o que reflete bem a excelente aceitação do pequeno SUV ou, se assim o desejar, deste polivalente crossover urbano.

Os especialistas da Renault rapidamente entenderam que tinham encontrado a fórmula ideal para um automóvel cativante, mas perceberam também que esta era a altura perfeita para revigorar um dos seus modelos de sucesso. Respondendo à altura às novas propostas da concorrência, os retoques do novo Captur não se ficaram exclusivamente por um estilismo mais refinado, mas focaram-se no maior conforto e num ambiente a bordo que, para além de cativante, seja funcional, seguro e ligado ao mundo. No fundo, e à primeira vista, o Captur está menos primário que a geração anterior, mais elegante e encerrando até novos encantos familiares que o amarram a outros modelos de segmentos superiores da Renault, que conta com uma importante ofensiva no fértil clube dos SUV. Captur, Kadjar e Koleos são as propostas da moda para um combate que se antevê muito disputado.

A personalização do Captur, através de diferentes jogos de cores foi uma das apostas bem conseguidas, que nesta geração vai chegar às 145 combinações. O habitáculo foi melhorado não só em termos visuais, mas essencialmente na aplicação de materiais de melhor qualidade. Muitos locais para simples mas práticas arrumações, onde se destaca um porta-luvas de formato fora do comum e de grande capacidade, espaço conveniente para cinco passageiros e uma bagageira de lisonjeira capacidade, são apenas alguns dos muitos atributos do novo Renault Captur, que também recebe em estreia o nível de equipamento mais luxuoso da Renault, o “Initiale Paris”.

O aumento de tecnologias tem por base a 3ª evolução da Renault. Desde o primeiro nível de equipamento, o Novo Captur está conectado graças à nova versão do R&Go, um sistema simples e prático transforma um smartphone do utilizador num tablet conectado. O utilizador pode aceder de forma ergonómica e intuitiva às funções mais úteis do automóvel, tais como navegação, telefone, multimédia e computador de bordo. O Novo Captur dispõe, também, do Media Nav Evolution, um sistema multimédia completo, tendo em conta a riqueza das funções propostas: Navegação com informações de trânsito, Bluetooth para telefonar, streaming através do smartphone ou ainda visualização das imagens da câmara de marcha-atrás e função Driving Eco2 para otimizar a condução e o consumo. O R-Link Evolution inclui a navegação com informações de trânsito em tempo real, conectividade 3G e Bluetooth, reprodução de conteúdos multimédia (fotografias, vídeos) e uma grande variedade de aplicações graças à Renault R-Link Store e à gestão de sistemas de ajuda à condução, pela primeira vez compatível com Android Auto.

As motorizações propostas para o novo Renault Captur passam pelo conhecido bloco diesel de 1,5 litros com 90 cv (caixa manual de 5 velocidades ou automática de seis relações) ou o mais potente de 110 cv (caixa manual de 6 velocidades). No tocante aos motores a gasolina o Captur monta dois blocos TCe. Um de 0,9 litros com 90 cv, mas também um atraente e mais enérgico de 1,2 litros com 120 cv que poderá contar com caixa manual ou autmática de seis velocidades. Com chegada a Portugal marcada para 2 de junho, o novo Renault Captur a gasolina tem preços a começar nos 18.080€ para o TCe 90 e nos 20.630€ para o TCe 120. Para as opções diesel, o dCi 90 estará à venda a partir de 22.180€ enquanto o dCi 110 arranca nos 24,830€

scroll up