Obrigado HALO!

27 agosto 2018

O Grande Prémio da Bélgica, que decorreu este fim de semana no circuito de Spa-Francorchamps, foi palco do maior teste ao Halo, o sistema de proteção da cabeça dos pilotos introduzido este temporada, e que salvou a vida de Charles Leclerc, que pilota um Sauber e que levou com o carro de Alonso literalmente em cima dele. Se até ali o Halo era constestado por muitos, a partir dali passou a ser abençoado por todos

O filme do acidente é rápido. Aliás, só dura mesmo oito segundos. Toda a gente sabe que muitas vezes a dinâmica de um Grande Prémio é definida logo à primeira curva e a prova belga não foi excepção, levando desta vez o conceito ao extremo das suas consequências: Nico Hulkenberg falhou a travagem da primeira curva e acabou por bater com o seu Renault na traseira do Mclaren de Fernando Alonso. Sem conseguir, por sua vez, controlar o monolugar, o espanhol acabou por voar literalmente para cima do Sauber de Charles Leclerc. E apenas o Halo permitiu que agora se possa olhar para as espetaculares imagens do acidente sem o travo amargo da tragédia.

Leclerc não regateou elogios ao novo sistema de proteção: 

“Nunca fui um fã do Halo, mas tenho de admitir que estou muito contente por o ter tido por cima de mim hoje,” reconheceu Leclerc após a prova na sua conta de Twitter.

End of the race in the 1st corner. Frustrating.
Never been a fan of the halo but I have to say that I was very happy to have it over my head today !
??: @f1gregoryheirman / @fotoformulak pic.twitter.com/QILqoVtjVh

Olhando com mais pormenor para o Sauber de Leclerc, constata-se que o Halo resistiu bem ao peso do monolugar de Alonso:

Quem também veio enaltecer o elemento de segurança, apesar de já não estar nas pistas, foram Nico Rosberg e Felipe Massa. “Podemos acabar com a discussão do Halo. Vai salvar vidas!” disse Rosberg, enquanto o brasileiro considera que “visto isto, podemos dizer que o Halo é lindo!”

scroll up