Ricciardo vence louco GP da China

15 abril 2018

A primeira parte do Grande Prémio da China foi, em grande medida, livre de drama, com Vettel bem encaminhado para a terceira vitória em igual número de corridas nesta época. Mas tudo mudou quando Pierre Gasly, da Toro Rosso, se tornou no protagonista.

O piloto cometeu o maior erro da F1 ao bater no colega de equipa Brendon Hartley no gancho, na 30ª das 56 voltas da corrida, o que deixou a pista cheia de detritos.

O safety car foi obrigado a entrar em ação e a Red Bull respondeu de imediato ao mandar Max Verstappen e Daniel Ricciardo entrarem nas boxes para montarem pneus macios numa altura em que rodavam em terceiro e quinto, respetivamente.

É certo que perderam uma posição cada um, mas quando o safety car saiu de pista, a vantagem que tinham em termos de ritmo sobre os Ferrari de Sebastien Vettel e Kimi Raikkonen, bem como sobre os Mercedes de Lewis Hamilton e Valtteri Bottas tornou-se bem evidente.

Verstappen era o melhor posicionado para tirar partido de tudo o que se tinha passado, mas saiu de pista quando tentava uma manobra pouco realista sobre Hamilton e depois errou ao tocar em Vettel no gancho quando tentava recuperar.

Já o seu colega de equipa Ricciardo não cometeu qualquer erro, mostrando-lhe como se fazia. Levou a cabo um dos seus tradicionais ataques desde muito atrás para passar Hamilton por dentro no gancho. Depois apanhou Vettel sem dificuldades e retirou a liderança a Bottas com manobra semelhante.

O australiano isolou-se na frente para garantir a primeira vitória desde o GP do Azerbaijão do ano passado, com Bottas a terminar em segundo pela segunda vez consecutiva.

Ainda assim, uma prestação digna de nota para Bottas, que compensou a falta de garra no Bahrain com uma ultrapassagem decisiva sobre Raikkonen para assumir a liderança. Não fosse a entrada do safety car em pista, ou tivesse Bottas ido às boxes na mesma altura dos Red Bull, e muito provavelmente teria ganho a prova.

Raikkonen foi terceiro – um prémio pela forte fase inicial apresentado e que acabou mesmo por resultar na perda de terreno.

Verstappen foi quarto, o que acabou depois por ser convertido num quinto posto pelos comissários desportivos que lhe aplicaram uma penalização de 10 segundos por ter batido em Vettel. Hamilton, que esteve apagado todo o fim-de-semana, conseguiu, ainda assim, cruzar a meta na quinta posição.

scroll up