Romano Fenati sem futuro no MotoGP

10 setembro 2018

A prestigiada marca italiana MV Agusta vai regressar ao Campeonato do Mundo de MotoGP no próximo ano, alinhando em conjunto com a Forward Racing Team na categoria de Moto2 e há duas semanas tinha anunciado a contratação de Romano Fenati para o regresso ao mais importante circuito mundial de competição em duas rodas.

Tinha! Sim, porque agora, acabou de rasgar o acordo que tinha assinado com o italiano. O título da nota divulgada pelo construtor e formação italianos é, só por si, de uma clareza acutilante: “Fenati não mais fará parte do nosso projeto.”

A grave falha de conduta de Romano Fenati para com Stefano Manzi durante a corrida de Moto2 do Grande Prémio de São Marino e da Riviera de Rimini, que teve lugar no Circuito Marco Simoncelli, em Misano Adriático, terá repercussões para o futuro, para lá da bandeira preta apresentada a Fenati e a suspensão de participação em duas corridas imposta pela Direção de Prova. A MV Agusta não vai ser representada por Fenati em 2019, ano que a marca de Varese regressa à mais alta competição de motociclismo e ao Campeonato do Mundo de Moto2. O acordo entre a MV Agusta Reparto Corse Forward Racing Team e Romano Fenati foi terminado,” lê-se no comunicado de imprensa divulgado.

Mas não é tudo. Na nota, o Presidente da MV Agusta, Giovanni Castiglioni, vai mais longe e afirma: “Em todos os meus anos de acompanhar a competição, nunca vi um comportamento tão perigoso quanto este. Um piloto que pode reagir desta forma nunca poderá representar os valores da nossa companhia, ou da nossa marca. Por este motivo, não queremos que ele seja o piloto com o qual a MV Agusta faz o regresso ao Campeonato do Mundo.”

Giovanni Cuzari, patrão da equipa, também não teve pejo em deixar claro o que pensa da atitude de Fenati. “Após o vergonhoso episódio entre Romano Fenati e Stefano Manzi, é impossível a equipa manter a colaboração que tinha planeado com o piloto de Ascoli para a época de 2019. O comportamento de Fenati é incompatível com os valores desportivos da Forward Racing Team e da MV Agusta. Por este motivo, apesar de o lamentarmos muito, vemo-nos forçados a cancelar o nosso projeto com Fenati. O nosso desporto já é extremamente perigoso e qualquer atitude que aumente o risco envolvido para os pilotos é intolerável. Não podemos aceitar comportamento deste tipo por parte de um dos nossos futuros pilotos.”

Contudo, o calvário que Fenati acabou por se impor a si próprio ao agir como agiu pode não estar ainda terminado. Além de excluído do GP de São Marino, suspenso pela Direção de Corrida por dois Grandes Prémios, despedido da Marinelli Snipers Team e agora da MV Agusta, o italiano pode ainda enfrentar uma acução de tentativa de homicídio na sequência de uma queixa apresentada pela CODACONS, uma das mais significativas associações de defesa do consumidor italiana, junto do Ministério Público.

scroll up