A primeira vitória de Thierry Neuville em Portugal

19 dezembro 2018

Um rali muito técnico e competitivo, recebeu carros WRC mais evoluídos e prontos para um contacto importante, com uma prova que é referência mundial em termos de pisos de terra, contribuindo para um espetáculo que voltou a encantar o publico. Thierry Neuville triunfou pela primeira vez na prova do ACP, liderando do 7º ao último troço.

Depois de Ott Tanak ter triunfado na especial espetáculo de abertura em Lousada, antes da ronda minhota por Viana do Castelo, Caminha e Ponte de Lima, adivinhavam-se duelos diferentes, com Haydon Paddon, Kris Meeke e Dani Sordo a passarem pela liderança do rali, antes de Thierry Neuville ter tomado conta em definitivo dos destinos da prova, depois da segunda passagem por Ponte de Lima.

A prova portuguesa viria a ser marcante para Meeke, que após aparatoso acidente acabou por deixar a Citroen. Também Ogier não chegaria ao final do rali, mantendo, no entanto, todos os créditos de campeão para renovar o título. Thierry Neuville percebeu que podia vencer em Portugal pela primeira vez, lançando um importante e definitivo ataque na primeira passagem pelo troço de Amarante, o mais extenso da prova, não perdendo mais a liderança do Vodafone Rally de Portugal.

E se as novas especificações técnicas dos WRC trouxeram maior emotividade à prova portuguesa, os troços da região de Fafe estiveram de novo em destaque, não apenas pelos fantásticos saltos que foram referência em todo o mundo, mas também pela resistência do Hyundai i20 de Neuville aos ataques derradeiros dos Ford Fiesta de Evans e Suninen e dos Toyota de Latvala e Lappi, que viria a vencer a Power Stage, na última passagem pelo troço de Fafe. Thierry Neuville em Hyundai subiu ao lugar mais alto do pódio, seguido pelos Ford de Evans e Suninen, numa prova muito técnica e emotiva, que está em constante evolução.

scroll up