Nona etapa, a jornada em que tudo aconteceu

16 janeiro 2019

É certo e sabido que uma prova não está terminada antes de cruzada a linha de meta, ainda para mais quando se está a falar do Dakar, o que não se esperava é que o penúltimo dia de competição, com as vitórias a ficarem a cargo de Nasser Al-Attiyah e Michael Metge, fosse marcado por tanta coisa.

Nas duas rodas os olhares estiveram sobre o líder Toby Price. Mesmo a correr com uma mão partida em consequência de queda sofrida ontem, o piloto da KTM levou a cabo um dia positivo, mas trabalhoso. Como se não bastasse o desconforto da lesão, o australiano ainda teve de recuperar muitas posições depois de ter cruzado WP1 em 19º. Mas a verdade é que Price nunca desistiu e chegou ao final em quinto, a 3:29s da frente e cedendo apenas um segundo para o mais direto rival, Pablo Quintanilla, que foi terceiro.

Mas a verdade é que o dia não foi fácil par nenhum dos homens da frente. Metge, da Sherco TVS, começou de 18º e depois de uma primeira passagem pela liderança sensivelmente a meio da etapa, ainda sofreu um trambolhão na classificação para o décimo posto antes da assegurar a primeira vitória no Dakar deste ano.

Quem ficou com o intermédio do pódio hoje foi um piloto do qual pouco, ou nada, se ouviu falar até ao momento. Daniel Nosiglia logrou o seu melhor resultado de sempre na prova ao terminar na segunda posição com a sua Honda, a dois minutos redondos do francês e com praticamente minuto e meio de vantagem sobre Quintanilla.

Em termos de geral, Price segue na frente com 1:02s de vantagem sobre Quintanilla, o que deixa antever uma última especial absolutamente emocionante. Um pouco mais longe, a 6:35s, em terceiro, surge Matthias Walkner, que hoje foi quarto.

Já nos carros, pode dizer-se que esta tirada em loop com partida e chega a Pisco foi uma verdadeira tomba gigantes. O Senhor Dakar, Stéphane Peterhansel viu-se obrigado a atirar a toalha ao chão ao cabo de apenas 26 quilómetros depois do navegador David Castera se ter lesionado nas costas. Enquanto isso, Sébastien Loeb, teve o pior dia desta edição do Dakar.

O francês, que liderou desde WP1, teve problemas mecânicos no Peugeot e parou ao quilómetro 276, já quase com a meta à vista. Um contratempo que o fez perder 1h15 para o vencedor.

Enquanto isso, Al-Attiyah, que só precisa de cruzar a linha de chegada em Lima e subir ao palanque final para assinar a terceira vitória na prova, acabou por levar de vencida a tirada de hoje. Um resultado que em tudo se deveu aos azares de Loeb e de Cyril Despres que, depois de “roubar” a liderança ao compatriota Loeb, virou o Mini numa duna e teve de ficar à espera de ajuda. No final, 39:46s perdidos para o qatari.

Com tudo isto, o segundo posto ficou a cargo do vencedor da Baja Portalegre 500 de 2018, Nani Roma (Mini, +4:58s), enquanto o mais baixo do pódio ficou para outro piloto da Toyota, o sul-africano Giniel de Villiers.

No que toca à geral, Nasser lidera com mais de 46 minutos de vantagem sobre Roma, enquanto Loeb, ainda assim, é terceiro a meros 16 segundos do espanhol. Margem curta que promete animado despique amanhã enquanto Al-Attiyah deverá ter um passeio tranquilo rumo a mais um triunfo absoluto.

scroll up